Publicidade

A Caixa Econômica Federal está realizando os pagamentos da última parcela do Auxílio Emergencial neste mês de outubro, já que o benefício irá se encerrar.

O Auxílio Emergencial foi criado em abril de 2020 para oferecer ajuda à população devido a crise causada pela pandemia da Covid-19.

De abril a agosto de 2020, as parcelas iam de R$600 para as famílias em geral a R$1200 para aquelas com mãe solo.

Publicidade

De setembro a dezembro de 2020 o Governo prorrogou o programa, mas com parcelas de R$300 a R$600.

O Governo não ia continuar disponibilizando a ajuda neste ano, porém com a piora da pandemia, o auxílio voltou em abril de 2021.

Porém, dessa vez os valores foram ainda menores, com parcelas de R$150 a R$375, dependendo do perfil da família.

O benefício se encerraria novamente em julho de 2021, mas houve uma prorrogação de mais 3 parcelas.

O fim do Auxílio Emergencial

Dessa forma, o Auxílio Emergencial termina de vez neste mês de outubro e o Governo já confirmou que ele não irá mais prorrogá-lo. 

Publicidade

O programa foi muito importante para famílias em situação de pobreza e extrema pobreza.

Além disso, desempregados, trabalhadores informais, autônomos e microempreendedores individuais (MEI) também se beneficiaram com a ajuda.

Essa ajuda foi essencial para as famílias durante a crise na pandemia.

O fim do programa foi justificado com o argumento de que parte dos beneficiários possuem trabalho informal e já estão retornando às suas atividades.  

Além disso, há o avanço da vacinação e a queda dos números de mortes e infectados.

O que acontece com o fim do Auxílio Emergencial

Com o fim do Auxílio Emergencial, o governo anunciou o lançamento do Auxílio Brasil, um programa que vai substituir e melhorar o Bolsa Família.

Porém, cerca de 20 milhões de brasileiros que recebiam o Auxílio Emergencial ficarão de fora dos beneficiados com o novo programa.

Publicidade

Essas pessoas são as que não estão cadastradas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico).

Ou seja, são famílias em situação de pobreza, mas que não chegaram a receber o Bolsa Família.

Dessa forma, essas famílias devem ficar fora do Auxílio Brasil até o mês de dezembro.

De acordo com o Ministro da Cidadania, João Roma, o Auxílio Brasil terá o número de beneficiários ampliados.

Acredita-se que a ajuda atinja a cerca de 17 milhões de famílias.

Publicidade

O valor terá reajuste de 20% em relação aos valores pagos atualmente no Bolsa Família e já poderá ser pago no mês de novembro.

Além disso, o Ministro ainda disse que o Governo está estruturando um “benefício transitório” que funcionaria até dezembro de 2022.

Eles desejam igualar o pagamento dos benefícios para que nenhuma família receba menos de R$400 mensais.

Para saber mais sobre o Auxílio Brasil, acesse o site do Governo Federal.

Bolsa do Povo – Saiba como conseguir auxilio do Governo